Segurança, mobilidade e vizinhança tranquila são fatores mais buscados na hora de comprar imóvel

Sem comentários

Uma pesquisa feita pela Loft, aponta que entre os fatores mais buscados na hora de adquirir um imóvel estão uma vizinhança tranquila e silenciosa; um local com garantia de segurança 24h e com boas opções de mobilidade; além da fuga do aluguel. O levantamento foi realizado com 200 pessoas que pretendem comprar apartamentos ou que compraram nos últimos seis meses, em São Paulo e no Rio de Janeiro, entre outubro e novembro.

Em São Paulo, o barulho da vizinhança foi apontado por 28% dos entrevistados como o principal motivo de insatisfação com o imóvel atual; seguido por vista ruim ou sem privacidade (23%); e localização ruim (19%). No Rio, o barulho incomoda 25% das pessoas ouvidas pela pesquisa; seguido por insegurança (24%); e pouco espaço (também 24%).

Em termos de estrutura do prédio, os participantes das duas cidades informaram buscar prédios que tenham portaria 24h e mais conveniência, como vaga de garagem, proximidade de comércio e trabalho e também de vias de acesso. Além disso, a quantidade de quartos é o ponto mais importante do imóvel em si.

O levantamento analisou diferentes perfis de compradores em relação ao momento de vida de cada um. Os compradores de primeira viagem (71% dos entrevistados, no Rio e em São Paulo) querem realizar um sonho (41%); buscam bairros tranquilos (35%); e querem ter tudo por perto para otimizar seu tempo de deslocamento (34%). Motivos para buscar um imóvel são sair do aluguel (29%); sair da casa dos pais (14%); e morar com o/a parceiro/a (11%). O processo de compra dura, em média, oito meses, já que esses consumidores são mais indecisos.

Já os chamados compradores experientes (29% do total) buscam mobilidade (39%); e querem aproveitar momentos em família (36%). Motivos para buscar um imóvel são a mudança de região da cidade (14%); morar com o/a parceiro/a (12%); e um apartamento maior (11%). Neste caso, o processo de compra dura menos tempo: 6 meses, em média, já que esses consumidores estão mais convictos a respeito do que querem.

Fonte: Extra Globo (Adaptado)

RedatorSegurança, mobilidade e vizinhança tranquila são fatores mais buscados na hora de comprar imóvel
Veja mais

Setor imobiliário estima manter expansão em 2021

Sem comentários

O forte aquecimento do mercado imobiliário tende a se manter, em 2021, conforme levantamento da Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) realizado com presidentes e diretores de 38 das maiores empresas do setor durante o ano de 2020. A pesquisa apontou que 97% dos empresários pretendem lançar projetos, nos próximos 12 meses, e 92% comprará terrenos, principal matéria-prima para a produção imobiliária, no período. 

“Temos tudo para que o crescimento seja sustentável”, afirma o presidente da Abrainc, Luiz Antonio França. Entre os fatores que vão possibilitar a expansão, França cita o número recorde de 973 alvarás, nos 12 meses encerrados em setembro, para construção de novos empreendimentos verticais, em São Paulo. “Os dados vêm demonstrando vendas e lançamentos crescentes”, diz. 

Do total de entrevistados, 87% informaram aumento de vendas no terceiro trimestre. Entre os que atuam no programa habitacional Casa Verde e Amarela, o incremento foi de 82% e, nas empresas com foco no segmento de médio e alto padrão, a expansão foi de 90%. Em relação às expectativas de comercialização, nos próximos três meses, 68% do total avalia que haverá alta e, nos próximos 12 meses, 87% acreditam em crescimento. 

Para 63% dos entrevistados haverá aumentos de preços superiores a 5% nos próximos 12 meses. No prazo de cinco anos, as altas vão superar 10%, na avaliação de 84% dos empresários. “O valor dos imóveis está estável mesmo com os aumentos de preços dos insumos. Tecnicamente, este é o momento para a compra”, afirma o presidente da Abrainc.

Nos últimos meses, 87% dos entrevistados registraram mais procura por imóveis. No segmento de baixa renda, 82% dos participantes tiveram essa percepção, enquanto no de médio e alto padrão, 90% informaram aumento. 

O setor de incorporação tem se beneficiado muito da queda de juros. À medida que taxas menores possibilitam reduzir o valor das parcelas, o poder de compra dos clientes aumentou. Ao mesmo tempo, muitos consumidores finais e investidores têm direcionado para aquisição de imóveis recursos que até então estavam na renda fixa.

Neste momento de mais valorização de onde se mora, como consequência das pessoas que estão trabalhando de casa, a busca de imóveis maiores e que atendam a novas necessidades dos moradores, como a de espaço para trabalho e para aulas à distância, também tem contribuído para o aquecimento do setor.

No entendimento de França, como o setor está “estruturalmente bem”, o maior risco atual são as consequências da pandemia de covid-19 na macroeconomia. “Quando houver a vacina, o setor de construção será o grande indutor da retomada da economia”, afirma o representante setorial.

Fonte: Valor Econômico – Globo (Adaptado)

RedatorSetor imobiliário estima manter expansão em 2021
Veja mais

Você sabe o que é CNAI?

Sem comentários

Para quem não é do mercado imobiliário esta sigla não é tão usual, mas para quem esta  neste mercado ela é bem conhecida e muito relevante, mas o que é CNAI?  

O Cadastro Nacional de Avaliadores de Imobiliários (CNAI), é uma inscrição realizada e  mantida pelo Conselho Federal de Corretores de Imóveis (COFECI).  

O corretor de imóveis necessita estar inscrito para atuar na área e emitir o PTAM –  Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica, mas para isto é necessário de um curso  específico. Além de ser corretor de imóveis e ser inscrito no CRECI – CONSELHO  REGIONAL DE CORRETORES DE IMÓVEIS, de acordo com a Resolução – COFECI º  1.066/2007, o Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica (PTAM) é um documento  que visa apresentar, com base em critérios técnicos, o valor comercial de um imóvel,  judicialmente ou extrajudicialmente.  

O Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica (PTAM) pode ser realizado por uma  imobiliária, porém, o corretor de imóveis, pessoa física, precisa chancelar esse  documento.  

O CRECI (Conselho Regional de Corretores de Imóveis) é o órgão responsável por  fornecer o selo certificador para ser utilizado no PTAM. Para realizar a inscrição no  Cadastro Nacional de Avaliadores Imobiliários é necessário que o profissional tenha o  Diploma em curso de Técnico de Transações Imobiliárias ou equivalente e o certificado  de conclusão em curso de avaliação imobiliária.  

Para você fazer a sua inscrição no CNAI você precisa apresentar os seguintes  documentos em seu conselho regional que seguem abaixo:  

 Certificado em Especialista em Avaliação Imobiliária;  

 Comprovante de recolhimento da taxa de inscrição;  

 Diploma de curso técnico em Técnico de Transações imobiliárias ou  equivalente;  

 Requerimento de inscrição preenchido;  

 Duas fotos 3×4.  

Os interessados em realizar o cadastro no CNAI devem cumprir todos os requisitos do  Conselho Federal de Corretores de Imóveis (COFECI) para que a sua inscrição no CNAI  seja aprovada.  

Agora que você já sabe o que é o CNAI, prepare-se e venha para a avaliação imobiliária. 

Paulo Roberto – CEO do Avalion

RedatorVocê sabe o que é CNAI?
Veja mais